top of page

A Regra dos 40%: Equilíbrio entre crescimento e lucratividade das Startups SaaS

Atualizado: 28 de mai.

Como já comentamos em outras publicações, uma das grandes diferenças das Startups para outros negócios tradicionais é a busca pelo crescimento acelerado. Ao longo da jornada, conforme a empresa ganha maturidade, é fundamental termos benchmarks que nos ajudem a identificar se estamos crescendo ou alcançando o resultado esperado.

regra dos 40%
Icons Made by Freepik from Flaticon

Em 2015, empresas de Venture Capital começaram a utilizar a Regra dos 40% para avaliar a saúde da operação de empresas de tecnologia, principalmente SaaS. Essa é uma regra aplicável a empresas já maduras, startups que estão dando os seus primeiros passos possuem referências melhores que essa para avaliar a saúde do seu negócio, como o modelo 2TD3 de Neeraj Agrawal, Sócio da Battery Ventures.


A Regra dos 40% estabelece que o somatório do crescimento da empresa em receita e da lucratividade deve ser superior a 40%:

regra dos 40% calculo

Se uma empresa cresceu 20% de um ano para o outro em receita, seu lucro deve representar 20% também. Se o crescimento foi de 40%, a margem de lucro pode ser igual a 0%. Se o crescimento foi de 50%, a margem de lucro pode ser de -10%.


O cálculo e indicadores utilizados para o crescimento e lucro podem variar. Por exemplo, para o crescimento de receita pode-se utilizar os seguintes valores:

  • Crescimento de GAAP Revenue de um ano para o outro. GAAP Revenue se refere a receita calculada conforme os critérios estabelecidos pela contabilidade, é o mesmo valor que consta no Demonstrativo de Resultado das empresas;

  • Crescimento de MRR (Monthly Recurring Revenue) ou de ARR (Annual Recurring Revenue) de um ano para o outro. O MRR é basicamente a receita recorrente mensal, pode ser calculado como o produto do total de contas ao fim do ano e o ticket médio pago pelos clientes. O ARR é a multiplicação do MRR por 12.

MRR = Total de Clientes ao fim do período x Ticket Médio
ARR = MRR x 12

Para o indicador de lucratividade pode-se utilizar as seguintes métricas:

  • Margem EBITDA;

  • Margem EBIT;

  • Margem Líquida;

  • Relação do Fluxo de Caixa Livre e Receita Líquida;

  • Relação do Fluxo de Caixa e Receita Líquida.

A margem EBITDA é a mais utilizada, porém alguns aspectos podem sugerir que outro indicador seja mais adequado. Por exemplo, se uma empresa realiza grandes investimentos em infraestrutura ao não utilizar servidores de terceiros, como a AWS, pode ter valores de fluxo de caixa e EBITDA bastante distintos.



 

Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atuou como consultor de gestão na Falconi em projetos no setor público, varejo automotivo, saúde e farmacêutico, com foco na aplicação do PDCA para melhoria dos resultados operacionais. Atualmente é analista na área de operações de marketing na RD Station, onde trabalha na identificação de oportunidades de melhoria no funil de vendas.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page